top of page

Com investimento de R$ 10 milhões, Babies'R'Us inicia expansão no Brasil


Rede norte-americana pretende abrir dez lojas em até três anos e começar projeto de conversão em cidades do interior


A primeira loja brasileira da Babies"R"Us abriu as portas na primeira quinzena de novembro no shopping Outlet Premium no Rio de Janeiro, e uma nova unidade será aberta nas próximas semanas no Outlet Premium de São Paulo. O objetivo da marca norte-americana é ter mais cinco espaços em 2024, alcançando também a Bahia e Brasília, e chegar a dez lojas próprias em 2025. Com isso, o mercado de itens para bebês ganha um player internacional de peso na concorrência. A empresa quer oferecer de produtos a aconselhamento.


O investimento previsto para a expansão é na casa dos R$ 10 milhões, e será feito pela Ragabesh & Co, licenciada que também opera outras marcas de varejo internacional no Brasil, como Aéropostale e Nautica. Dona da marca Babies "R" Us desde 2021, a WHP Global traçou um plano agressivo e pretende ter duas mil lojas da marca em todo o mundo em até cinco anos. Hoje, são 100 unidades em 33 países.


“Percebemos que o que o universo de bebês no mercado brasileiro não tem diferenciação. Você entra em uma loja e vê praticamente os mesmos produtos, tem o mesmo atendimento e não tem uma experiência de compra igual quando você vai para fora”, diz Eduardo Serafini, agente da WHP Global para o Brasil.


A ideia, de acordo com ele, é que as lojas ofereçam treinamentos de itens disponíveis para venda e aconselhamento sobre maternidade ou paternidade, por meio de especialistas. “Já estamos negociando lojas nos shoppings Morumbi e Iguatemi, entre outros”, adianta.


As megastores da marca terão entre 200 e 300 metros quadrados, mas a Babies"R"Us também quer ganhar o interior do país, em um modelo de sublicenciamento de varejo. Serafini diz que vê potencial para ter até 60 unidades nesse formato, que consiste na conversão de lojistas independentes.


O contrato da Babies"R"Us com a Ragabesh é de licenciamento, assim como todos os acordos que a WHP tem no mundo. Dessa forma, a empresa pode produzir os itens que serão vendidos, mediante validação da matriz, e comprar de fornecedores locais, para transformar a loja em uma espécie de “marketplace físico”. Serafini adianta que o e-commerce brasileiro deve ser lançado no próximo mês.


Hoje, 35 fornecedores que abastecem a loja brasileira. Serafini diz que há possibilidade de compra e venda de produtos entre os licenciados nos 33 países em que a marca está presente. Atualmente, a Ragabesh produz o arsenal de vestuário. Outros itens são operados por marcas locais, como a Dorel, especializada em carrinhos. “A partir do ano que vem, todas as lojas com interesse em comprar produtos Babies'R'Us também poderão ter acesso aos itens”, afirma.


A marca Babies"R"Us foi fundada em 1996, como uma derivada da Toys"R"Us, gigante de brinquedos que chegou a aparecer na franquia de filmes “Esqueceram de Mim”, no início dos anos 1990. Após decretar falência em 2017, tenta um comeback, também sob a gestão da WHP. A Babies"R"Us se consolidou como parte do “circuito de enxovais”, de pais que vão aos Estados Unidos para abastecer estoques. A rota inclui outras marcas do gênero, como a Carter’s – que está no Brasil desde 2020.


Por: Paulo Gratão

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page