top of page

Raia Drogasil cria laboratório de manipulação

Ao invés de continuar como um marketplace de venda para terceiros, a Raia Drogasil pivotou a operação da Manipulaê, transformando-a em um e-commerce do próprio laboratório inaugurado em junho na zona Sul da capital paulista.


Segundo reportagem do Valor Econômico, por enquanto a plataforma 100% digital de farmácias de manipulação atenderá a região metropolitana, com entregas a partir de receitas enviadas pelo site. A ideia é crescer para outras regiões, com a construção de mais laboratórios, mas a companhia não descarta promover a expansão geográfica com um modelo híbrido, com parceiros locais.


De acordo com Bruno Pipponzi, VP de negócios de saúde da Raia Drogasil, a estratégia inicial é focar em preço, com promessa de orçamentos até 30% mais baratos do que a concorrência. A empresa também quer aproveitar o público ao qual a Raia Drogasil já está exposto para ter um baixo custo de marketing.


Investimentos da Raia Drogasil em healthtechs


O negócio de remédios manipulados faz parte de uma cesta de investimentos que a companhia tem feito em healthtechs, em um esforço para diversificar a empresa e transformá-la no que a diretoria tem chamado de plataforma de saúde.


A Raia Drogasil já tem 11 investidas, sendo 10 no portfólio do corporate venture capital, a RD Ventures. São nomes como a Labi, de exames médicos, a Amplimed, de tecnologia para gestão de clínicas e consultórios, e a Vitat, uma plataforma online de bem estar que tem, entre seus serviços, a possibilidade de agendar consultas com nutricionistas.


A única que não faz parte da RD Ventures é a distribuidora de medicamentos especiais 4Bio, que atua na intermediação entre pacientes que precisam de tratamentos específicos, como os oncológicos, e as fabricantes. O negócio, que foi comprado em 2015 e à época faturava R$ 126 milhões, agora já soma R$ 2 bilhões de receita por ano.


Por: Ana Claudia Nagao

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page